width=


 


UOL Busca Pablito Costa (Celtico)

32 anos, Casado. Natural de Salvador, BA

Eng. Mecânico e Professor de Dança de Salão

Apaixonado por ler, escrever, jogar basquete e dançar (é claro...)

Mensagem do Celtico:

“Nós homens de hoje somos muitas vezes umas criaturas que nos constituímos de esperança de nós mesmos. Dá-me, Senhor, a convicção mais profunda de que estarei destruindo meu futuro sempre que a esperança em ti não estiver presente”

 




Meu perfil
BRASIL, Sudeste, TAUBATE, CENTRO, Homem, de 26 a 35 anos, English, Spanish, Esportes, Cinema e vídeo, Dança
Outro -




Histórico:

- 31/10/2010 a 06/11/2010
- 26/09/2010 a 02/10/2010
- 15/08/2010 a 21/08/2010
- 01/08/2010 a 07/08/2010
- 04/07/2010 a 10/07/2010
- 16/05/2010 a 22/05/2010
- 02/05/2010 a 08/05/2010
- 25/04/2010 a 01/05/2010
- 18/04/2010 a 24/04/2010
- 11/04/2010 a 17/04/2010
- 07/03/2010 a 13/03/2010
- 24/01/2010 a 30/01/2010
- 10/01/2010 a 16/01/2010
- 27/12/2009 a 02/01/2010
- 08/11/2009 a 14/11/2009
- 23/08/2009 a 29/08/2009
- 16/09/2007 a 22/09/2007
- 12/08/2007 a 18/08/2007
- 05/08/2007 a 11/08/2007
- 29/07/2007 a 04/08/2007
- 24/06/2007 a 30/06/2007
- 04/02/2007 a 10/02/2007
- 10/12/2006 a 16/12/2006
- 06/08/2006 a 12/08/2006
- 09/07/2006 a 15/07/2006
- 02/07/2006 a 08/07/2006
- 16/04/2006 a 22/04/2006
- 02/04/2006 a 08/04/2006
- 26/03/2006 a 01/04/2006
- 26/02/2006 a 04/03/2006
- 12/02/2006 a 18/02/2006
- 29/01/2006 a 04/02/2006
- 22/01/2006 a 28/01/2006
- 08/01/2006 a 14/01/2006
- 04/12/2005 a 10/12/2005
- 30/10/2005 a 05/11/2005
- 04/09/2005 a 10/09/2005
- 14/08/2005 a 20/08/2005
- 07/08/2005 a 13/08/2005
- 17/07/2005 a 23/07/2005
- 03/07/2005 a 09/07/2005
- 19/06/2005 a 25/06/2005
- 12/06/2005 a 18/06/2005
- 08/05/2005 a 14/05/2005
- 24/04/2005 a 30/04/2005
- 10/04/2005 a 16/04/2005
- 03/04/2005 a 09/04/2005
- 27/03/2005 a 02/04/2005
- 20/03/2005 a 26/03/2005
- 13/03/2005 a 19/03/2005
- 06/03/2005 a 12/03/2005
- 27/02/2005 a 05/03/2005
- 20/02/2005 a 26/02/2005
- 13/02/2005 a 19/02/2005
- 06/02/2005 a 12/02/2005
- 30/01/2005 a 05/02/2005
- 23/01/2005 a 29/01/2005
- 16/01/2005 a 22/01/2005
- 09/01/2005 a 15/01/2005
- 02/01/2005 a 08/01/2005
- 26/12/2004 a 01/01/2005



Outros sites:

- UOL - O melhor conteúdo
- Pensamentos soltos al vento.
- Momentos de Reflexão
- Escrito nas Estrelas
- Poesia & Arte
- Coisas Ocultas
- Uma mulher um poema
- Meu Canto
- Meu Mundo da Lua
- A Viajante
- Espelho da Alma
- Retalhos e Pensamentos
- Transmimentos de Pensações
- O Prazer de Pensar


Votação:

- Dê uma nota para meu blog

Indique esse Blog


Contador:

Código html:
Cristiny On Line



Num Pôr-do-sol

Num Pôr-do-sol

Vocês já pararam para dmirar um pôr-do-sol?

É um momento mágico...Pois em face do ângulo de visão, surge a transparência da luz que nos permite, por alguns minutos, olhá-la diretamente - numa linha direta com o Ser...

Nesse momento único, quando a luz penetra diretamente no íntimo do espírito (em linha direta com o cérebro), é possível a realização de todos os sonhos...

Possíveis se tornam todos os desejos não realizados - exatamente aqueles que a esperança insiste em manter vivos em nosso íntimo.

Entretanto,  um pôr-do-sol, também, traz a realidade do findar de um dia... A idéia melancólica de término - de fim de um ciclo ! Não é? Às vezes a vida nos leva a outros rumos, a novas esperanças e a novos sonhos. Nos empurrando para compromissos inadiáveis, que não podem ser deixados de lado, depois de assumidos. Embora, nessas ocasiões, a luz e o calor do sol sempre nos lembrem do prazer do sonho esquecido... Também nos incute a triste idéia de que os sonhos se perderam irremediavelmente.

Resta somente a esperança de novos sóis, pois quando estes brilharem, virão para transformar tudo quanto possível... E assim ficamos : - estagnados - aguardando esses novos sóis !

Por isso, ao olhar diretamente para a luz do pôr-do-sol, lembre-se da esperança, da saudade e dos desejos de realização dos seus sonhos e de que eles podem e devem ser realizados... AGORA !

Que a noite, que se segue a todo pôr-do-sol, seja estrelada e com uma Lua escancarada - para que dela surja a magia e a esperança de novos sóis !

 

Num novo e promissor amanhecer...

O que falar dos inúmeros "Pôr-do-sols", que todos nós passamos na vida. Quandos amanheceres, quantas experiencias. Mas uma coisa não deve morrer nunca em nós. A  vontade de encontrarmos a nossa tão sonhada felicidade, mesmo que em nosso  dia  o Sol tenha se posto por mais de 100 vezes, mas que em cada uma delas exista vivo  um novo amanhecer, dentro de nós. Amigos, nunca desistam de seus sonhos, pois o importante desta VIDA É SER FELIZ!!!

Abraços, Celtico

 

 



- Postado por: Celtico às 23h08
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________




Eu não,...., Consigo?

Eu  não,....,  Consigo?

Eu era supervisor numa escola primária na Bahia, e incentivava os treinamentos que ali eram realizados. Um dia, vivi uma experiência muito instrutiva quando, tomando um lugar vazio no fundo da sala, assisti às atividades da classe. Todos os alunos estavam trabalhando numa tarefa, preenchendo uma folha de caderno com idéias e pensamentos. Uma aluna de dez anos, mais próxima de mim, estava enchendo a folha de "não consigos".

- "Não consigo chutar a bola de futebol além da segunda base."

- "Não consigo fazer divisões longas com mais de três números."

- "Não consigo fazer com que a Monica goste de mim."

Caminhei pela sala e notei que todos estavam escrevendo o que não conseguiam fazer.

- "Não consigo fazer dez flexões."

- "Não consigo comer um biscoito só."

A esta altura, a atividade despertara minha curiosidade,e decidi verificar com a professora o que estava acontecendo e percebi que ela também estava ocupada escrevendo uma lista de "não consigos". Então, frustrado em meus esforços em determinar porque os alunos estavam trabalhando com negativas, em vez de escrever frases positivas, voltei para o meu lugar e continuei minhas observações.Os estudantes escreveram por mais dez minutos. A maioria encheu sua página. Alguns começaram outra. Depois de algum tempo os alunos foram instruídos a dobrar as folhas ao meio e colocá-las numa caixa de sapatos, vazia, que estava sobre a mesa da professora.

Quando todos os alunos haviam colocado as folhas na caixa, Maria acrescentou as suas, tampou a caixa, colocou-a embaixo do braço e saiu pela porta do corredor. Os alunos a seguiram. E eu segui os alunos.

Logo à frente a professora entrou na sala do zelador e saiu com uma pá.

Depois seguiu para o pátio da escola, conduzindo os alunos até o canto mais distante do playground. Ali começaram a cavar. Iam enterrar seus "não consigo"! Quando a escavação terminou, a caixa de "não consigos" foi depositada no fundo e rapidamente coberta com terra.

Trinta e uma crianças de dez e onze anos permaneceram de pé, em torno da sepultura recém cavada. Maria então proferiu louvores:

"Amigos, estamos hoje aqui reunidos para honrar a memória do 'não consigo'.

Enquanto esteve conosco aqui na Terra, ele tocou as vidas de todos nós, de alguns mais do que de outros. Seu nome, infelizmente, foi mencionado em cada instituição pública: escolas, prefeituras, assembléias legislativas e até mesmo em Brasilia. Providenciamos um local para o seu descanso final e uma lápide que contém seu epitáfio. Ele vive na memória de seus irmãos e irmãs 'eu consigo', 'eu vou' e 'eu vou imediatamente'. Que 'não consigo' possa descansar em paz e que todos os presentes possam retomar suas vidas e ir em frente na sua ausência. Amém."

Ao escutar as orações, entendi que aqueles alunos jamais esqueceriam a lição. A atividade era simbólica: uma metáfora da vida. O "não consigo" estava enterrado para sempre.

Logo após, a sábia professora encaminhou os alunos de volta à classe e promoveu uma festa. Como parte da celebração, Maria recortou uma grande lápide de papelão e escreveu as palavras "não consigo" no topo, "descanse em paz" no centro, e a data embaixo.

A lápide de papel ficou pendurada na sala de aula de Maria durante o resto do ano. Nas raras ocasiões em que um aluno se esquecia e dizia "não consigo", Maria simplesmente apontava o cartaz "descanse em paz". O aluno então se lembrava que "não consigo" estava morto e reformulava a frase.

Eu não era aluno de Maria. Ela era minha aluna. Ainda assim, naquele dia, aprendi uma lição duradoura com ela.

Agora, anos depois, sempre que ouço a frase "não consigo", vejo imagens daquele funeral da quarta série. Como os alunos, eu também me lembro de que "não consigo" está morto.

texto de Chick Moorman in "Canja de Galinha para a alma"

Jack Canfield & Mark Victor Hansen

 Hoje, eu gostaria de fazer uma homenagem a uma pessoa que gosto muito, alguém que passou boa parte de sua pequena existência tentando superar os inúmeros "não consigos" que a vida lhe apresentava. Hoje ela completa 27 anos, de muitas alegrias, experiências e riquezas, as riquezas que chamamos família e amigos.

Pessoal, tudo o que tenho a dizer, como Céltico ou como simplesmente Pablo, é muito obrigado meu Deus, por todos os meus segundos. Faço valer a pena todos eles, todos os dias.

Se hoje eu pudesse pedir algo pediria uma oração a todas as pessoas que são carentes de atenção ou não tem a oportunidade que muitas vezes nós temos de serem lembradas e queridas.

 

No mais, vamos lutar para tornar nossa existência algo que contribua para um mundo melhor.

Um forte abraço a todos,

Atenciosamente,

Pablo Costa - Celtico



- Postado por: Celtico às 08h15
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________




Queres as Maravilhas do mundo

Queres as Maravilhas do mundo, pois eu lhe darei a maior,.., Tu.

Esta história muitos de vocês já conhecem.Um grupo de estudantes de Geografia estudava as sete maravilhas do mundo. No final da aula, o professor pediu aos estudantes para fazerem uma lista do que eles pensavam que fossem consideradas as sete maravilhas atuais. Embora houvesse desacordo, começaram os votos:

1. As Pirâmides do Egito

2. O Taj Mahal


3. O Grande Canyon


4. O Canal do Panamá


5. O Empire State Building


6. A Basílica de São Pedro


7. A grande Muralha da China

Ao recolher os votos, o professor notou uma estudante muito quieta. A menina não tinha virado sua folha ainda. Ele, então, perguntou-lhe se tinha problemas com sua lista.
A menina respondeu: - Sim, um pouco. Eu não consigo fazer a lista , porque são muitas.
O professor disse: - Bem, diga-nos o que você tem e talvez nós possamos ajudá-la.
A menina, então, leu:

 Tocar, Sentir, Provar, Ver, Ouvir, Rir e Amar...

A sala ficou em silêncio...

 (Desconhecido)

 

 

Não sou a pessoa mais apropriada para falar algo sobre o que foi posto acima. Não pela beleza do que foi dito, mas pelo bem do que foi aqui demonstrado.

Ou você nunca reparou na maravilha que tu es? Pois convido a todos a repararem...se existem jóias valiosas neste mundo, elas estão escondidas em cada um de nós.

Celtico



- Postado por: Celtico às 23h36
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________




Você não poderia dar um Vestido Azul...

O Vestido

 

Num bairro distante, morava uma garotinha muito bonita. Ela estudava em uma  escolinha local no mais lamentável estado: suas roupas eram tão velhas que seu professor resolveu dar-lhe um vestido novo.

 

"É uma pena que uma aluna tão encantadora venha às aulas desarrumada desse jeito” Falava, o professor.

Quando a garota ganhou a roupa nova, sua mãe não achou razoável que, com aquele traje tão bonito, a filha continuasse a ir ao colégio suja como sempre, e começou a dar-lhe banho todos os dias, antes das aulas. Assim, ao fim de uma semana, disse o pai: - Mulher, você não acha uma vergonha que nossa filha, sendo tão bonita e bem arrumada, more num lugar como este, caindo aos pedaços? Que tal  você ajeitar um pouco a casa, enquanto eu, nas horas vagas, vou dando
uma pintura nas paredes, consertando a cerca, plantando um jardim? E assim fez o humilde casal. Até que sua casa ficou muito mais bonita que todas as casas da rua e os vizinhos se envergonharam e se puseram também a reformar suas residências. E o bairro melhorava a olhos vistos, quando por isso passou um político que, bem impressionado, disse: - É lamentável que gente tão esforçada não receba nenhuma ajuda do governo. Este, saiu para ir falar com o prefeito, que o autorizou a organizar uma comissão para estudar que melhoramentos eram necessários ao bairro. Dessa primeira comissão surgiram muitas outras e hoje, por todo o país, elas ajudaram os bairros pobres a se reconstruírem.

E pensar que tudo começou com um vestido azul.

 

Certamente, não era intenção daquele simples professor, de concertar a rua, ou mesmo criar um órgão governamental, que socorresse bairros abandonados. Mas ele fez o máximo, ele fez o que ele podia.

Hoje, gostaria de deixar uma coisa  para todos vocês meus amigos. Nós somos capazes de fazer maravilhas a partir de nossos pequenos gestos ... afinal, é difícil reconstruir um bairro, um pais ou o mundo, mas é possível dar um vestido azul.

Céltico.



- Postado por: Celtico às 17h56
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________